Comprar imóvel pela Caixa. As mudanças no financiamento.3 minutos de leitura

Nos últimos dias a Caixa Econômica Federal anunciou uma série de mudanças em seu financiamento habitacional. Há notícias boas e ruins para quem quer comprar imóvel e não possui o dinheiro à vista.

A boa notícia é a elevação do teto para imóveis usados. Para quem quer comprar um imóvel usado, hoje, é possível financiar até 70% do valor total do imóvel. Antes, este limite tinha sido rebaixado para 50%. Isso no caso dos empréstimos que seguem a tabela Price (um sistema de amortização de dívida que é o mais usado).

A má notícia é que, logo depois de anunciar estas novas condições, a Caixa anunciou o encarecimento dos juros, o que deixou mais alto o valor pago total e, consequentemente, mensal. Por isso, na hora de comprar imóvel, vale a pena observar atentamente todos os pontos e valores que serão pagos. Em qualquer condição, é sempre bom conseguir o máximo de dinheiro para a entrada.

Veja as principais mudanças no financiamento da Caixa para comprar imóvel

  1. Aumento de teto da parte financiada

Antes, era possível financiar, no máximo, metade do preço do imóvel, no caso de usados. Agora, a Caixa pode liberar 70% do valor. Para funcionários públicos, o limite era de 60% e veio para 80%.

  1. Aumento de juros

O comprador que não possui um relacionamento prévio com a Caixa tem acesso a juros até 1,32% maiores do que tinha antes. Veja:

Classificação de financiamento Como era Como ficou
SFH – Taxa de balcão 9,9% 11,22%
SFH – Relacionamento 9,5% 11%
SFH – Servidor público 9,5% 10,5%
SFI – Taxa de balcão 11,5% 12,5%
SFI – Relacionamento 11,2% 12%
SFI – Servidor público 11% 11,5%

SFH: Sistema de Financiamento Habitacional. Para imóveis até R$ 750 mil;

SFI: Sistema de Financiamento Imobiliário. Para imóveis acima de R$ 750 mil.

No geral, mesmo com o aumento, a CEF está ampliando a oferta de crédito a fim de reaquecer o mercado imobiliário, que sofreu no último ano. Faz parte do pacote de medidas a reabertura para o financiamento do segundo imóvel. Sendo assim, segundo Miriam Belchior, presidenta do banco (em matéria divulgada pela agência Caixa), a expectativa é elevar o volume de contrações em 13% este ano, o equivalente a 64 mil unidades habitacionais a mais.

Dicas gerais para comprar imóvel com financiamento

Observar sempre: taxa de juros, período máximo de parcelamento, tempo de contrato, valor total do financiamento e formas de pagamento.

Estude também: a forma de amortização de parcelas. Há dois tipos básicos. No sistema SAC, você amortiza mais no começo do contrato, o que torna a 1ª prestação do financiamento mais cara (uns 25% maior do que na Price). Porém, se comparamos o valor final pago no financiamento, no caso do SAC, este será até 15% menor. Claro que se deve verificar sempre a taxa aplicada (que pode variar de banco para banco).

O que fazer: A CEF ainda é a opção mais popular para realizar empréstimos com o fim de comprar imóvel, seja usado ou novo. Se você está estudando um meio de adquirir sua casa própria, primeiro simule no site oficial da Caixa os valores desejados e prazos para liberação de crédito.

As parcelas são feitas para caberem no bolso das famílias, sendo assim, não ultrapassam 30% do rendimento mensal familiar. Lembre-se de que há a avaliação do imóvel: um engenheiro da CEF analisa o imóvel escolhido e valida o valor de venda.

Um dos principais motivos pelo qual os financiamentos da CEF são atraentes, também, é a possibilidade de usar o FGTS.