Fundos imobiliários, entenda como funcionam4 minutos de leitura

Os fundos de investimento imobiliário, ou simplesmente fundos imobiliários, são uma opção para quem deseja investir em alternativas diferentes daquelas de baixo risco, que rendem pouco. Veja como funciona esta modalidade.

O que são fundos imobiliários?

São investimentos em imóveis feitos em coletividade, isto é, quando diversos investidores adquirem cotas de participação em bens (veja mais detalhes aqui). A administração do imóvel é feita por uma instituição financeira (semelhante à Bovespa no mercado de ações) que fará a movimentação dos recursos dos sócios.

Os fundos podem ser investidos em imóveis prontos, em empreendimentos imobiliários ou em títulos ligados ao mercado (exemplo: Letra de Crédito Imobiliário). As cotas de cada sócio se assemelham às ações também no sentido de que não podem ser resgatadas, apenas negociadas ou vendidas.

Quem pode investir nos fundos?

Qualquer pessoa pode fazer investimentos em fundos imobiliários, desde que tenha o valor necessário para a aquisição da cota de determinado bem. O valor das cotas é variável, de acordo com a rentabilidade e também a situação em que se encontra o mercado imobiliário.

Desse modo, as possibilidades para os investidores podem aumentar ou diminuir, sendo uma alternativa bastante flexível, ideal tanto para investidores arrojados quanto conservadores. Afinal, se a pessoa é mais conservadora, ela pode investir em um leque de investimentos, arriscando-se menos; caso seu perfil seja mais arrojado, os fundos imobiliários podem ser sua principal forma de investimentos.

Vantagens dos fundos imobiliários

Por que investir em fundos de investimentos imobiliários, se você pode aplicar seu capital em outras formas de investimento, por exemplo, na compra de imóveis somente seus? Veja as vantagens do fundo abaixo:

  • Rentabilidade: como citamos acima, a rentabilidade é variável, porém, pelos históricos, ela é significativa. Anos atrás, a rentabilidade de alguns fundos foi de 10% ao ano, sendo uma possibilidade expressiva de retorno, ganhando de aplicações tradicionais;
  • Liquidez: quando se adquire um imóvel, os recursos não são líquidos, isto é, ficam imobilizados no bem. Com os fundos imobiliários é diferente: a rentabilidade é contínua e a liquidez acontece mensalmente. Além disso, as cotas podem ser negociadas sempre que você desejar. Claro que sempre se pode vender um imóvel, mas é muito mais fácil negociar uma cota do que um prédio comercial, por exemplo;
  • Custo: o valor para aquisição de um imóvel é consideravelmente alto, e de uma só vez. Já os fundos de investimento imobiliário exigem apenas o pagamento da cota de participação no bem, com custos menores porque serão arcados por várias pessoas, e não apenas por uma. Os custos também incluem a burocracia, que é facilitada nos fundos imobiliários e onerosa para o único proprietário do bem. Se optar pelos fundos, você não precisa se preocupar com transferência, pagamento de impostos e taxas, comissionamento ao corretor/imobiliária, etc.

 Os riscos do fundo de investimento imobiliário

Todo investimento está sujeito a riscos, é fato. Com os fundos de investimento imobiliário não é diferente, e abaixo você conhecerá alguns:

  • De mercado: os fundos imobiliários estão sujeitos às flutuações de mercado, como o preço do ativo, o valor do câmbio, a oferta e a demanda de imóveis, a variação das taxas de juros, as condições econômicas do país e os fundamentos do fundo adquirido;
  • De liquidez: é fato que as cotas podem ser negociadas, entretanto pode haver prejuízo entre o preço de venda e o preço que foi pago para sua aquisição. Além disso, pode ser que não haja interessados em investir em cotas naquele imóvel;
  • De sinistro: como você sabe, estamos expostos a eventos naturais e também os provocados por falhas humanas e de engenharia. Portanto, cotistas de fundos também podem ter prejuízos com a ocorrência dessas situações, já que as edificações não são isentas de risco;
  • De desapropriação: dependendo da localização, o Governo pode se apropriar do seu imóvel para futuras obras, então só resta vender a cota, correndo risco de ter prejuízos;
  • Riscos de gestão: conforme citamos, os fundos imobiliários são geridos por instituições financeiras. Quem garante que seu patrimônio será bem administrado? A empresa pode não ser idônea, ou até mesmo ser incompetente. A taxa de administração paga à instituição pode ser cobrada de forma a não gerar os lucros adequados ao cotista, e decisões podem ser tomadas gerando revés ao proprietário do fundo.

Os fundos de investimento imobiliário podem valer a pena, é claro, mas é importante atentar-se aos riscos inerentes a essa modalidade. Fique atento para lucrar adequadamente!