Morar em Rio das Ostras e trabalhar em Macaé4 minutos de leitura

A distância entre Rio das Ostras e Macaé é de 24 quilômetros e para ir de uma cidade a outra é preciso seguir pela Rodovia Amaral Peixoto (RJ106), que por ser o principal caminho entre as duas cidades, fica extremamente congestionada em horário de pico. Enfrentar as vias de acesso engarrafadas todos os dias na ida e na volta do trabalho parece uma situação estressante, não é mesmo? Mas então, por que a maioria dos habitantes de Rio das Ostras opta por fazê-lo?

A rotina de morar em Rio das Ostras e trabalhar em Macaé é muito familiar para a população. Para entender um pouco mais sobre as motivações que levam essa rotina a se tornar comum aos habitantes de Rio das Ostras e trabalhadores de Macaé, conversamos com algumas pessoas que vivenciam essa situação diariamente. Confira:

Vantagens

Para Rogério Esposito, sócio proprietário da Imobiliária Atitude, a grande vantagem de fazer esse trajeto todos os dias é a qualidade de vida oferecida pela cidade de Rio das Ostras, “Optei por morar em Rio das Ostras por ter melhor qualidade de vida e melhores opções de moradia, além disso, tenho acesso fácil as melhores praias e cachoeiras”, conta o empresário.

Em relação ao trânsito, Rogério explica que nem sempre consegue fugir dos engarrafamentos, “Devido ao meu trabalho não tenho horário fixo, mas quando preciso atender um cliente perto dos horários de pico tenho que sair muito mais cedo para não atrasar”.

Outra grande vantagem citada pelos nossos entrevistados é o valor para compra de imóveis. O fotógrafo João Barreto, 49 anos, comprou o seu imóvel em 2006 revelou os motivos pelos quais considerou a compra um bom negócio. “Na época, o imóvel equivalente ao que escolhi em Rio das Ostras, chegava a mais que o dobro em Macaé. Hoje ainda é bem mais caro. Isso pesou muito” – explica o fotógrafo.

O imóvel que ele comprou é um duplex de três quartos com 100 metros de área construída, no bairro Extensão do Bosque, o equivalente em Macaé ao bairro da Glória e Riviera. Segundo João Barreto, a localização do imóvel, num bairro com estrutura de urbanização muito boa e ótimo padrão das casas vizinhas, foram fundamentais para a compra. “A valorização do imóvel, pontualmente, onde estou, é maior. A qualidade de vida é boa e se eu por acaso vender, não vou poder comprar um em Macaé do mesmo jeito” – completa.

Desvantagens

Mesmo com a ótima qualidade de vida e imóveis mais em conta, há quem optou por acabar de vez com essa rotina e ir morar definitivamente em Macaé. A corretora de imóveis, Kelly Ravaglia, depois de 10 anos morando em Rio das Ostras, se mudou para o município vizinho há três meses. “É complicado trabalhar em Macaé e morar em Rio das Ostras, mas eu morava lá por uma questão financeira e junto com a minha família. Nos horários de pico tem muito congestionamento. Agora que eu casei e vim morar aqui ficou mais fácil”, explica. O custo de combustível para ela, com um carro 1.0 variava entre R$ 500 e 600 por mês.

Para a proprietária de imobiliária em Macaé, Elzi Lessa, além de desgastante, realizar esse trajeto diariamente é arriscado. “Quem trabalha em Macaé deveria morar em Macaé. Não tem sentido perder mais de duas horas por dia de viagem entre as duas cidades, fora o estresse e perigos da estrada, cada vez mais congestionada. O pior é que essa perda de tempo tende a aumentar ano a ano, porque não existe nenhuma solução a curto prazo”, pontua Lessa.

Com tantos prós e contras, afinal, compensa morar em Rio das Ostras e trabalhar em Macaé?

Para a Maria do Rosário Tavares, 38 anos, a resposta para essa pergunta é positiva. Ela mora no Jardim Mariléa em Rio das Ostras e trabalha em Macaé, no setor de petróleo e gás. Maria explica que mesmo com o desgaste diário que o trajeto entre as duas cidades proporciona, ao chegar em casa o alívio é maior, “Lá eu consegui comprar um imóvel do jeito que queria, bem mais em conta que Macaé. Apesar da distância e da correria maior, eu adoro quando chego em casa e posso desfrutar de um imóvel que estou pagando e será meu. Saí do aluguel em Macaé e não me arrependo”, conta.

Agora que você já sabe um pouco sobre os prós e contras de morar em Rio das Ostras e trabalhar em Macaé, a decisão é sua: compensa ou não? Se você ficou com alguma dúvida ou gostaria de deixar uma opinião sobre o tema escreva um comentário!